Faça camélias de tecido de uma forma simples e rápida

1457

Aumente sua produção com nossa dica facilitadora!

Utilizando a máquina de cortar e selar tecido sintéticos é possível aumentar sua produção de flores, além disso, você pode produzir flores de EVA e feltro, a flor camélia é um modelo muito procurado e tem várias possibilidades: como aplicações em roupas, acessórios e objetos de decoração, com o mesmo molde de flor você pode fazer variados modelos e tamanhos!

Faça camélias de tecido de uma forma simples e rápida

ONDE POSSO APLICAR ESTAS FLORES?

Você pode colocar mais cor e charme em peças como acessórios de cabelos, fica lindo em tiaras, bico de pato, elástico e presilhas. Estes adereços estão fazendo a cabeça das crianças e principalmente das mamães que não resistem a mimos artesanais como estes citados. Ales também vão bem em bolsas, roupas e como aplique decorativo para peças artesanais usando caixa de MDF, latas e materiais reciclados.

COMO COMEÇAR A PRODUZIR FLORES?

A sua produção de flores pode começar apenas com retalhos de tecidos, mesclado cores e adicionando pequenos detalhes para tornar seu produto ainda mais diferenciado. Fácil de ser encontrada a máquina de cortar de selar tecidos vai ajudar você a produzir muito mais e fazer a diferença com suas flores!

VIDEOAULA:

Para você ver na prática como é fácil iniciar sua carreira de sucesso, nós completamos a dica facilitadora com uma aula apresentada pela artesã Verônica Martins!

ONDE ENCONTRAR A MÁQUINA DE CORTAR E SELAR TECIDOS?

Você pode encontrar a máquina de selar tecido e acessórios nos seguintes fornecedores abaixo:

Guia de Artesanato: www.guiadeartesanato.com.br

Loja Seu vizinho: www.lojaseuvizinho.com.br

Barato Máquinas: www.baratomáquinas.com.br

Endereço: Rua Santa Clara, Número 25, Brás – SP

CONTATO DA ARTESÃ: Verônica Morais

E-MAIL: veumorais@gmail.com
FACEBOOK: @vmmimosartesanais
INSTAGRAM: @vm_mimosartesanais
TELEFONE: (11) 95031-1771

GOSTOU?

Então siga o artesanato no Facebook e fique por dentro do melhor da arte!

PESQUISA: Rick Frois
IMAGEM: Artesanato Na Rede